Trechos de Livros: Cinquenta Tons Mais Escuros

Trechos do livro: Cinquenta Tons Mais Escuros - E. L. James
(Continuação de: Cinquenta Tons de Cinza)



[...] — As aparências enganam — Não estou nem um pouco bem. Eu sinto como se o Sol tivesse se posto e não tivesse nascido por cinco dias, Ana. Estou vivendo uma noite infinita. [...]

[...] Eu quero você, e a ideia de que outra pessoa possa possuir você é como uma faca perfurando minha alma negra. [...]

[...] Ele está de pé na minha frente, mas sem encostar em mim, olhando nos meus olhos e me
banhando no calor que irradia de seu corpo. Sinto-me sufocada, agitada, e minhas pernas parecem
gelatina à medida que o desejo sombrio toma conta de mim. Eu quero esse homem. [...]

[...] — Não me deixe de novo — implora ele, olhando fundo nos meus olhos, a expressão séria. [...]

[...] Fico sem fôlego. Pelas minhas veias corre um desejo quente, escuro, insinuante e cruel. [...]

[...] Sou apenas sensação. Isto é o que ele faz comigo: pega o meu corpo e me possui por inteira para
que eu não pense em nada além dele. Sua magia é poderosa, inebriante. Eu sou uma borboleta presa
em sua rede, incapaz de escapar, sem vontade escapar. Sou dele... totalmente dele. [...]

[...] Ele me olha, os olhos arregalados e em pânico, e tudo o que podemos ouvir é o fluxo contínuo da
água que flui sobre nós no chuveiro.
— Você me ama — digo.
Seus olhos se arregalam ainda mais, e sua boca se abre. Ele inspira fundo, como se tomasse fôlego.
E parece torturado, vulnerável.
— Sim — murmura. — Amo. [...]

[...] Compaixão, perda e desalento, todas essas sensações me invadem, e sou tomada por um desespero
paralisante. Vou ter que lutar para trazê-lo de volta, para trazer o meu Cinquenta Tons de [...]

[...] — Não, estou fazendo isso porque finalmente conheci alguém com quem eu quero passar o resto
da minha vida. [...]

[...] Christian Grey: espere o inesperado —cinquenta tons de loucura. [...]

[...] Ele enfia o rosto em meu cabelo, e eu caio no sono, sentindo-me segura em seus braços, sonhando
com o pôr do sol e portas de varanda e escadas largas... e um pequeno menino de cabelos cor de cobre
correndo por um prado, rindo e gargalhando enquanto eu corro atrás. [...]

[...] — Você queria flores e corações — murmura.
Eu pisco para ele, sem acreditar no que estou vendo.
— Você tem meu coração.
E então ele acena em direção ao cômodo.
— E aqui estão as flores — sussurro, completando sua frase. [...]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente : )